buscar no site de Piraju

Endereço Prefeitura: Praça Ataliba Leonel, 173 - Centro - Cep 18800-000 - Piraju/SP

Quarta
Céu nublado com aguaceiros e tempestades

Min. 21
Máx. 29

Quinta
Céu nublado com chuva fraca

Min. 19
Máx. 24

Sexta
Céu nublado

Min. 18
Máx. 25

LINHA DO TEMPO

LINHA DO TEMPO 

 

1840 - MARIA FERREIRA

O nome de Maria Ferreira fizera-se notabilidade em todo o sertão paulista e paranaense, porque o marido, foragido da lei, não se apresentava em nenhum povoado temendo ser reconhecido, assim embrenhado nas matas, caçando animais, sempre, e então era ela quem negociava peles e produtos da terra por mantimentos e outras necessidades da família, em Faxina [atual Itapeva], e, anos depois, depois em Avaré, Piraju e as surgentes.

ÍNDIOS
Já moravam no Tijuco Preto, vindos do Paraná – trabalhavam para o homem branco em troca de utilidades e quinquilharias, a sua aldeia chamava-se Pirã-yu. (Piraju)

1958 – 1959

Família Arruda chegou no Tijuco Preto onde já haviam muitas famílias instaladas, entre elas OS GRACIANOS E OS FAUSTINOS.

1860

Construíram a primeira capela.

1861

A primeira Missa foi celebrada em 20/01 – FREI JOSÉ DE LORO DE ITAPORANGA (SÃO JOÃO DO RIO VERDE);
São Sebastião do Tijuco Preto pertencia à comarca de Itaporanga.
Faxina (Itapeva)

1866 - IGREJA

Construída a segunda igreja 400 metros acima da outra.
Servia como CARTÓRIO; CASAMENTOS; REGISTRO NASCIMENTO; ELEIÇÕES.

1871

De Patrimônio foi elevado a Freguesia em 16 de março.

1872

Em 29 de agosto deu-se a criação da Paróquia de São Sebastião do Tijuco Preto.
Padre Pedro Gaggino de Montaldo.

25/04/1880

Criado o Município pelo Decreto nº 111, foi elevado à Vila.
DESMEMBRADO de Itapeva.

1881

Empossada a primeira Câmara.
Construção da primeira ponte.

JANEIRO/1884

Por uma comissão foi apresentado um projeto de “CODIGO DE POSTURAS” (LEIS).
Cadeia e Câmara.

15 / JANEIRO/1888

Indicação do vereador Benedito Silveira Camargo, encarregada da libertação dos escravos do município. (antes da Lei Áurea).

A Proclamação da República Brasileira foi um levante político-militar ocorrido em 15 de novembro de 1889 que instaurou a forma republicana federativa presidencialista do governo no Brasil, derrubando a monarquia constitucional parlamentarista do Império do Brasil e, por conseguinte, pondo fim à soberania do imperador D. Pedro II.

06 JUNHO DE 1891.

A pedido da Câmara Municipal ao Governo da Província concedeu-se o nome de PIRAJU ao município.

1892

25 de agosto: criação da Comarca de Piraju, desmembrando-a da Comarca de Rio Verde (Avaré).
O primeiro Juiz de Direito foi empossado em 19/11/1892: Dr. Simão Eugenio de Oliveira Lima – ficou por 30 anos.

1900

Foi iniciada a construção da 3ª Igreja a qual foi terminada em 1906.
Padre Zacharia Gioia.
Em 1924 começou a ser reformada, terminada em 1958.

1905

Inauguração da luz elétrica em Piraju – Usina Monte Alegre (1 ano e 5 meses antes do Rio de Janeiro).

1906

Inauguração dos trilhos do trem.
03/05: novo prédio do grupo escolar.

1908

05 DE ABRIL – inauguração da Estação Ferroviária e ramal.
Instalação do telefone.

1910

Instalação da rede de água e esgoto.
Cassino Pirajuense.

1912

Começou a funcionar outra usina elétrica, a Boa Vista.
Os índios Caiuás foram transferidos para a reserva.

1915

EM 15 DE AGOSTO: Começou a transitar o Trem Elétrico – Bondinho.

1925

A Cia Luz e Força Santa Cruz começou a construção da Barragem para nova usina.

1934

Construído o Ginásio Estadual - Escola Nhonhô Braga.

1937

Foi construída a Usina Paranapanema – A Barragem de Santa Cruz do Rio Pardo.

1958

Conclusão da reforma da Igreja Matriz.

1959

Posto Agropecuário.
Foi reformulada a Praça Benedito Silveira Camargo (Brasilinha) e Praça Arruda.

1962

O prédio do Forum foi interditado e demolido, inaugurado outro em 25/02/1967 – leva o nome do 1º Juiz.

TOMBAMENTOS EM 1996

PRAÇA ATALIBA LEONEL.
PRAÇA BENEDITO SILVEIRA CAMARGO.
PRAÇA JOAQUIM ANTONIO DE ARRUDA.
O CONJUNTO DA ESTAÇÃO FERROVIÁRIA, ONDE O ARQUITETO FOI RAMOS DE AZEVEDO. FOI DESATIVADO EM 31/10/1966.
RIO PARANAPANEMA, PATRIMONIO AMBIENTAL TOMBADO EM 2002, PARA SUA PROTEÇÃO, MAS O STF, EM 2016 RETIROU O TOMBAMENTO.